Home » Dinheiro » 6 escolhas inteligentes do que fazer com seu dinheiro

6 escolhas inteligentes do que fazer com seu dinheiro

Você quer ter uma vida financeira feliz? Será que você está levando em consideração todas as opções possíveis de como direcionar mensalmente seu dinheiro?

6 escolhas inteligentes do que fazer com seu dinheiro


O primeiro passo para uma vida financeira feliz é saber o que acontece com seu dinheiro (veja a série “Seja chefe do seu dinheiro!”). Isso lhe permite fazer escolhas conscientes! O segundo passo é aumentar suas opções! Expanda sua mente: enxergue perto, enxergue longe e enxergue os outros!

A seguir compartilho com você 6 categorias que sugiro serem levadas em consideração quando você estiver direcionando seus gastos mensais. São elas:

1. Estudos

Um dos melhores investimentos da sua vida. Estude sempre! Pode ser para uma graduação, para uma pós-graduação, para um curso de extensão, para uma especialização… Se você parar de estudar, irá parar de expandir seu potencial criativo. Defina uma reserva mensal para garantir que estará sempre aprendendo.

2. Reserva para imprevistos

Você hoje possui um bom emprego e vive em uma economia que está batendo recordes de empregabilidade. Mas, e se nos próximos dois anos as coisas virarem do avesso e entrarmos em um período similar ao que as economias dos EUA e da Europa estão passando? Por quanto tempo você conseguiria sobreviver desempregado, sem ter que começar a pedir empréstimos por aí e nem reduzir (muito) seu padrão de vida?

Se você for demitido hoje, ficará desesperadamente à procura de outro emprego? Ou poderá descansar um pouco, avaliar o mercado, procurar boas oportunidades e ter a calma para fazer uma boa escolha? Você irá aceitar a primeira oferta de emprego? Ou terá cacife para negociar valores sem pressão?

A reserva para imprevistos é uma ótima forma de permitir que você mantenha a calma e consiga dormir em paz à noite. Se você tiver uma reserva no valor de, por exemplo, 6 vezes seus gastos mensais, perder o emprego não será o fim do mundo! Será apenas uma janela para um mundo de novas possibilidades.

Melhor ainda, se você não tem medo de perder o emprego atual (já que você conseguiria sobreviver um bom tempo sem ele) você pode ser mais autêntico no trabalho, pode se negar, com facilidade, a fazer tarefas que feririam sua integridade. A reserva para imprevistos permite que você faça um bom trabalho para crescer, não para sobreviver.

Pessoalmente, ela permite que eu durma melhor à noite mesmo em momentos difíceis no trabalho. Uma cabeça em paz vale ouro.

3. Aposentadoria

Chegará o dia em que você terá que reduzir consideravelmente seu ritmo de trabalho. Seja por vontade própria, seja pelas limitações mentais ou físicas da idade. A aposentadoria parece ser uma palavra de velho, algo para “daqui a muito tempo”. Não são raras as pessoas que postergam continuamente a preparação para a aposentadoria. Quando chega a hora, passam a depender dos filhos, ou da pequena aposentadoria paga pelo INSS (excetuando-se aqui os concursados, claro!).

No entanto, a mentalidade da “distância” da aposentadoria é equivocada. Na verdade, por causa de um fator simples chamado “juros compostos”, quanto mais cedo você começar, melhor. Veja o seguinte exemplo: imagine que você deseja se aposentar aos 60 anos com um valor mensal de R$5.000/mês (base: rendimento anual 4% acima da inflação – tesouro direto –, desconsiderando impostos, consumindo o principal). Se você começar a guardar dinheiro aos:

a) 50 anos: terá que depositar mensalmente R$7.200, depositando um total de R$865.000!!
b) 40 anos: terá que depositar mensalmente R$2.900, depositando um total de R$700.000!
c) 30 anos: terá que depositar mensalmente R$1.500, depositando um total de R$550.000!
d) 20 anos: terá que depositar mensalmente R$ 900, depositando um total de R$440.000.
c) 10 anos: terá que depositar mensalmente R$ 560, depositando um total de R$340.000.
d) ao nascer: terá que depositar mensalmente R$ 360, depositando um total de R$260.000.

Ou seja, se começar a pensar na aposentadoria aos 50 anos, terá que fazer um esforço tremendo! Se, ao contrario, seus pais já começarem investindo para você desde o seu nascimento (considerando que quando puder você irá continuar contribuindo com o mesmo valor), será necessário depositar 20 vezes menos por mês!

Pensar na aposentadoria já quando o filho nasce pode ser um exagero (será?), mas mesmo assim é possível ver quão importante é o tempo nessa equação. Quanto antes você pensar na aposentadoria, mais fácil será alcança-la.

4. Sonhos

Quanto você precisa para realizar seu sonho? Quando você quer realiza-lo? Quanto por mês você precisa guardar? Assim como a aposentadoria, quanto antes você começar, melhor! É mais fácil guardar um pouco por mês durante um longo tempo do que guardar muito por mês por menos tempo (lembre-se dos “juros compostos”!).

Tenho mais que uma categoria de sonho, já que tenho diversos sonhos. Quantos sonhos você tem?

5. Viagens

É possível que você seja que nem eu e seus sonhos estejam normalmente associados a viagens. Ou pode ser que não. De qualquer forma, viajar é ótimo, faz bem pra saúde, pra alma, pra mente, pro relacionamento… Quanto custa fazer uma viagem por ano, no Brasil? É possível se planejar antecipadamente? E uma viagem para fora? Esquiar na Argentina, se divertir na Disney, visitar as pirâmides do Egito?

Tenha uma reserva mensal para sair de onde está e viver intensamente!

6. Caridade

Sou católico, mas, ironicamente, aprendi a caridade em um livro incrivelmente capitalista: “Pai Rico, Pai Pobre”. No livro o escritor diferencia seu pai pobre de seu pai rico (que na verdade é pai de seu amigo). O pai pobre doa sempre que sobra algum dinheiro, o que raramente acontecia. Já seu pai rico doava bastante dinheiro (ambos “doavam” ensinamentos).

Um ponto interessante levantado no livro (além de em diversas religiões, como o catolicismo) é a teoria de dar primeiro para depois receber. Ele cita a história de um cara sentado com lenha nos braços numa noite gelada, que gritava para a lareira à sua frente: “Quando você me esquentar um pouco, eu ponho um pouco de lenha dentro de você”.

 

As 6 categorias que sugiro acima são apenas algumas outras opções do que fazer com seu dinheiro além das mais conhecidas como comer sempre em restaurantes caros, comprar um carro novo por ano ou ter sempre a última coleção primavera/verão no armário. Não acho que as 6 ideias acima sejam as opções “certas”. Tenho certeza, no entanto, que devem ser levadas em consideração quando você for fazer suas escolhas.

Quais outras boas opções você conhece do que fazer com seu dinheiro?

Comente!

Posted in Dinheiro and tagged as , ,
  • Barbie Californiana

    Das dicas passadas por ti sobre como lidar com o dinheiro, Rafael, esta foi a que eu mais apreciei… Parabéns pelo domínio com esse tipo de conhecimento e obrigada por compartilhar na blogosfera. =] abraços e linda noite.

    • http://rafaeldanigno.com.br/ Rafael Danigno de Paula e Silv

      Que bom que gostou, Barbie! São comentários desse tipo que me motivam a continuar escrevendo! Obrigado!
      Abraços!

  • Pingback: Seja inteligente com seu aumento | Rafael Danigno()

  • Mara

    Adorei! Peguei seu site no vidaorganizada.com. Vou receber um aumento agora em janeiro, e já estava pensando em fazer isso mesmo: investir no futuro, ao invés de elevar o padrão de vida, rs. Parabéns!

    • http://rafaeldanigno.com.br/ Rafael Danigno de Paula e Silv

      Obrigado, Mara! Boa sorte com seu aumento! :)