Home » Outros » O aprendizado nosso de cada dia

O aprendizado nosso de cada dia

“Quem acha que o Diploma é o final da linha realmente ainda não entendeu o processo de aprendizado humano.” (Vicente Falconi)

aprendizado nosso de cada dia

Abraham Maslow foi um famoso e respeitado psicólogo americano que morreu em 1970. Responsável por diversas teorias aceitas hoje em dia, desenvolveu a Teoria do Potencial Mental humano, amplamente confirmada em estudos realizados posteriormente por outros pesquisadores.

O Potencial Mental definido por Maslow indica a capacidade que cada um de nós tem de aprender uma específica quantidade de conhecimento em um dia. Ou seja, desde a hora em que acordamos até a hora que vamos dormir, temos um limite de possíveis novos conhecimentos que conseguimos absorver.

Se em um dia não atingimos esse limite de aprendizado, não acumulamos para o dia seguinte. O que sobrou fica então perdido e nunca mais pode ser aproveitado. Não fosse esta teoria verdadeira, seria possível formar um médico em 1 ano ou alfabetizar uma pessoa em um dia.

Aleatório e justo

De acordo com Maslow, cada ser humano possui seu próprio “potencial diário”, ou seja, cada um tem seu nível máximo de aprendizado que consegue absorver em um dia. Esse potencial não é influenciado por raça, hereditariedade ou geografia, e nem pode ser mais desenvolvido pelos que possuem dinheiro para investir nisso.

A média do Potencial Mental de qualquer comunidade pobre da África é provavelmente igual ou bem próxima à média do Potencial Mental dos Brasileiros, dos Suíços, dos Norte Americanos, etc. Nos lugares mais pobres e menos desenvolvidos do mundo existem pessoas com altos Potenciais Mentais, assim como nos países mais desenvolvidos existem pessoas com baixos Potenciais Mentais, e vice-versa.

O Potencial Mental é totalmente aleatório e justo. A diferença não está então em onde você nasceu ou quão rico ou pobre você é, mas sim se você soube (e sabe) aproveitar ou não sua cota diária.

Renata 10 e Ana 9

Imagine que Renata possua um Potencial Mental de 10 “conhecimentos” por dia, enquanto que o de Ana seja 9 “conhecimentos” por dia. Em um ano, Renata tem o potencial de chegar a um nível de 3.600 “conhecimentos” (360 x 10), enquanto que Ana só consegue chegar a “3.240” (360 x 9). Até os  80 anos, Renata pode alcançar 288.000 “conhecimentos” (80 x 3.600) e Ana apenas 260.000 (80 x 3.240).

No entanto, Renata não aproveita seu alto Potencial Mental, enquanto que Ana sim. Ela, Ana, não só se desafia diariamente em seu emprego, como também se mantém constantemente estudando, seja buscando crescer por conta própria, seja matriculada em cursos de seu interesse.

Ao final deste ano, Renata estará praticamente igual a como começou, enquanto que Ana terá absorvido 2.900 “conhecimentos” a mais.

Potencial de vida

Seguindo a ideia de Maslow, cada dia que Renata passa sem aproveitar seu Potencial Mental são 10 “conhecimentos” a menos no total que pode aprender em sua vida. Em 10 anos sem investir em si mesma, Renata perderá 36.000 possíveis “conhecimentos”, passando seu limite de 288.000 para 252.000. Apesar de ter um Potencial Mental maior que Ana, seu limite de aprendizagem passa a ser menor.

Veja a dramática consequência disto para Renata: cada dia pedido é irrecuperável!

Existem pessoas que guardam dinheiro em casa, debaixo do colchão. Apesar de não parecer, estão na verdade perdendo dinheiro tanto pela inflação (que deteriora o valor do dinheiro no tempo) como pelo custo de oportunidade: este dinheiro poderia estar rendendo mais dinheiro só por estar em outro lugar (ex: títulos públicos), mas não está.

O custo do dinheiro é fácil de calcular. Qual é, contudo, o custo de oportunidade da aprendizagem? O quanto você perde por parar de aprender, de se desenvolver, de crescer?

A importância de aprender

No exemplo dado, Renata e Ana possuem um número fixo de “conhecimentos” por dia (10 no caso da Renata, e 9 no caso da Ana). Na vida real, no entanto, o Potencial Mental não é fixo, variando com a idade. Aos 80 anos, por exemplo, sua capacidade de aprendizagem diária é bem menor do que aos 30.

Na vida real, não aproveitar sua cota diária de aprendizagem quando estiver com 30, 40, 50 anos pode ser ainda mais impactante!

E aprender significa ter que estudar cálculo, direito ou biologia pro resto da vida? Não! Aprenda sobre o mundo, sobre si mesmo, sobre espiritualidade… Se desafie nas suas próprias atividades diárias!

Mas se quiser pode ser sim estudar matemática, física, história, geografia, finanças… Do que você gosta? Aprenda!

Aproveite seu Potencial Mental diário, não o desperdice. Os desafios que você enfrenta hoje só serão resolvidos por um novo nível de pensamento que você mesmo desenvolver.

Como disse Falconi: “Quem acha que o Diploma é o final da linha realmente ainda não entendeu o processo de aprendizado humano”.

Qual foi a última vez que você realmente utilizou sua cota diária de aprendizagem? E quantos dias você “perdeu” no último ano?

Comente!

Posted in Outros and tagged as , , ,